Trabalhar em grupo é difícil

Olhe, pense numa coisa difícil de se fazer, é trabalhar em grupo. Uma professora da faculdade mandou a turma fazer um artigo em grupo. Para mim e mais algumas pessoas ela disse que preferia que o artigo tivesse uma pesquisa de campo, porque uma pesquisa apenas bibliográfica ela não gostava. Aceitei isso como uma recomendação do que significa qualidade num artigo científico. Passei a informação para o grupo e disse que a gente ia fazer essa pesquisa.

O tempo foi passando e até aqui ninguém escreveu nada. Eu sozinho já escrevi 6 páginas do artigo, incluindo a introdução. É sempre eu que tenho que correr atrás de todo mundo, sempre eu que tenho que pedir que as coisas sejam feitas. Então, no fim de semana marquei com o grupo para a gente se reunir hoje numa das salas de estudos da biblioteca para criarmos as perguntas da pesquisa. Eu mostrei um exemplo de pesquisa num livro que tinha o tema parecido com o que estamos falando no artigo, e disse que a gente poderia se basear nele para fazer o nosso. Aí começou. Uma menina disse que a gente poderia escrever do jeito que tava lá, e eu disse que não porque isso é cópia, e eu não queria copiar a pesquisa de ninguém. A minha ideia era se basear naquela pesquisa para criar a nossa própria. Depois outra disse que não precisava todas elas levarem as pesquisas para serem respondidas pelos funcionários das suas empresas, porque elas mesmas já sabiam as respostas e poderiam responder as pesquisas por todo mundo. Ela ficou botando terra, disse que ninguém tinha tempo de responder, etc. Ela não queria mesmo era fazer a pesquisa. Depois a terceira, que geralmente é a que me ajuda mais nos trabalhos, também se juntou a elas e disse: “ele não sabe como é a rotina de uma empresa”. Então eu disse: “eu sei sim como é porque já fiz um estágio, e se eu tivesse lá ainda, faria essa pesquisa”.

Depois a segunda menina voltou a falar. Ela disse que tem uma amiga na empresa dela que é minha maior fã (eu não a conheço), porque eu sou chato. Ela já tinha me falado essa história uma vez. Por pouco eu não me ofendia. Não podia deixar isso acontecer porque acabaria com a amizade por besteira. Então levei na esportiva e disse: “Mas sabe, eu gosto quando tu diz isso, que eu sou chato, porque isso mostra que se não fosse por mim a gente não estaria aqui fazendo essa pesquisa”. Se eu soubesse que chegaria a esse ponto teria me preparado mais e dito: “e se não fosse por mim, essas 6 páginas do artigo não estariam escritas”.

Depois a primeira começou a escrever algumas sentenças. Ela disse que ia colocar a avaliação para ser de 1 à 4, diferente da avaliação do livro que é de 1 à 5. Eu disse a ela que preferia que fosse de 1 à 5 porque é mais completo, mas ela disse que não porque é cópia. Ai ai ai, tem que ter muita paciência viu!

Olha só as loucuras que elas queriam fazer! Queriam que nós 4 respondêssemos a pesquisa e inventássemos as respostas! Uma delas chegou até a dizer que essa pesquisa não precisava ser algo real, e sim a gente inventando mesmo (!!). Não tem cabimento um negócio desses. Depois acham ruim por eu ser chato, mas tenho razão. O negócio tem que ser feito de verdade. Falta força de vontade e de querer fazer. Se fosse para a gente mesmo responder, era melhor nem fazer a pesquisa. Antes entregar nada do que entregar algo desonesto.

Trabalhar em grupo é muito difícil. Alguém sempre termina se esforçando mais que os outros. No nosso grupo as partes de cada um sempre foram bem divididos, mas nesse período, especialmente por causa do artigo, sinto que eu é que estou me esforçando mais no grupo. Estou dando mais do que recebendo, e me sinto cansado e desgastado. Nesse período parece que tá todo mundo cansado da faculdade e por isso vai empurrando tudo com a barriga.

Algumas coisas foram faladas em tons de brincadeiras, por isso tentei me segurar para não sair dando fora e brigando à toa (apesar que acredito que no fundo de toda brincadeira existe uma verdade). Eu sou chato sim, confesso, pego muito no pé até que algo seja feito, e tem que sair bem feito, e não de qualquer jeito. Mas queria que apenas fosse reconhecido pelo meu esforço, que pelo visto eu é que venho fazendo mais. Eu venho fazendo esse papel de chato, sempre cobrando e lembrando, não porque eu quero ou gosto, mas porque ninguém se move para nada. Como eu disse acima, se não fosse por mim, elas ainda estariam na estaca zero, e só falta duas semanas para entregar esse artigo. E ainda tenho que ficar ouvindo gracinhas e absurdos como esses. Se eu pudesse faria esse artigo e o TCC sozinho, mas como eu não trabalho fica difícil fazer pesquisas dentro de empresas (senão eu fazia a pesquisa na empresa que eu trabalhasse). Termino dependendo delas. Gosto delas como pessoas, a gente sempre se deu bem, mas nesse período tá difícil. 😣

Atualização 10/04/2016: fomos o único grupo da turma a tirar nota máxima no artigo graças à pesquisa, que nenhum outro grupo fez. Mas mesmo assim elas não aprendem. Nesse período começamos a fazer o TCC e continuo tendo problemas. Elas não querem se esforçar para fazer o melhor, e sim apenas o básico. Tem que ter muita paciência.

Anúncios
Trabalhar em grupo é difícil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s