Estou colocando os filmes da Marvel para a minha mãe (e ela está gostando!)

Pois é, a minha mãe está assistindo aos filmes da Marvel e está gostando! O mais incrível disso é que ela não gosta de assistir nada. Não assiste televisão e nem filmes. Filmes que ela assiste são um ou outro em DVD que alguém empresta para os meus pais dizendo que é bom. Lembro que há alguns anos foi um sacrifício convencê-la a assistir Um Sonho Possível, que é um dos meus filmes preferidos. Ela gostou do filme, mas disse que não era para eu inventar outros filmes para ela ver.

Novelas? Ela assistiu algumas clássicas mexicanas à tarde, mas depois parou porque disse que vicia (nisso eu concordo). Assistiu os últimos capítulos de Carrossel, e acompanhou de longe Chiquititas, já que assistia um capítulo sim e vários não. Era preciso eu sempre ficar explicando o que estava acontecendo.

Desde que o MasterChef começou que a gente assiste. Não no horário de exibição, porque é muito tarde, mas eu baixo da internet e a gente assiste à tarde. Na primeira temporada foi tudo ok, na segunda temporada ela desistiu depois dos 3 primeiros episódios. No MasterChef Júnior ela ficou até o fim, mas com muita insistência minha. Diz que assistir o MasterChef atrapalha o sono da tarde dela. Mas também diz que não sente vontade de assistir, mas quando assiste acha bom (é como se a cada vez que ela assistisse se lembrasse o quanto o programa é bom e o quanto vale a pena deixar de dormir à tarde para assistir).

Porque eu estou dizendo tudo isso? Porque baseado nesse seu histórico, quem diria que ela iria gostar de filmes de super-heróis?? Quando eu e minha irmã assistíamos e chamávamos ela para vir assistir com a gente, ela dizia que não gostava de filmes de ação. Mas então o que aconteceu foi a história do cinema.

Eu, minha irmã e minha mãe nunca tínhamos ido ao cinema, e quando fosse a nossa primeira vez, queria que fossemos todos juntos. O filme era Vingadores: Era de Ultron. Ela não fez objeção quanto ao filme, porque a curiosidade era ir ao cinema. Quando acabou o filme ela disse que tinha gostado e que ele era bom. Eu e minha irmã não perdemos a oportunidade de chamá-la para ir com a gente pro cinema assistir aos próximos filmes da Marvel. E foi assim que aconteceu.

Mas como todos os filmes da Marvel são interligados, tive que apresentar a ela todos os outros filmes do MCU. Ela dizia que não precisava, que tinha entendido Vingadores: Era de Ultron sem ter precisado assistir os outros filmes, mas mesmo assim insistimos. Agora ela já assistiu 5 filmes e disse que tá gostando, e depois disse que daqui a pouco ela vai ter vontade de usar camisas de super-heróis também kkkkkkkkkkk. Rimos muito disso. Veja que mudança drástica! De uma pessoa que não gostava de assistir nada, para outra que não só assiste e gosta, como também disse que vestiria camisa de super-herói se não ficasse feio para a idade dela. Grande evolução, não?

E agora em março ela estará indo comigo e com minha irmã ao cinema para assistir Batman vs Superman: A Origem da Justiça. Daqui para lá deve dar tempo assistir todos os filmes da Marvel e colocar O Homem de Aço depois. E em abril vamos assistir Capitão América: Guerra Civil.

Essa história da minha mãe me lembra de um Bloco X feito recentemente que fala de situações parecidas com essa: Peraí… Nossos pais também são nerds? Recomendo que assistam!

Anúncios
Estou colocando os filmes da Marvel para a minha mãe (e ela está gostando!)

Primeira vez no cinema

Sábado passado, dia 25, fui pela primeira vez ao cinema assistir Vingadores: Era de Ultron. Bem, quanto ao cinema em si, não era bem o que eu estava esperando. É uma tela grande, mas não tão grande. Ela não é gigantesca. Eu esperava algo maior.

A qualidade de imagem é boa, mas não vi muita diferença do Full HD.

E o pior de tudo: tem comerciais e vários trailers antes do filme começar. Eu contei 12 minutos só de trailers e comerciais. Olhei assim… fala sério né? Você pagar caro num ingresso para ainda ter que assistir vários trailers e comerciais? Ninguém merece.

Sobre o ingresso ser caro: sim, ele é caro, porque você assiste ao filme uma vez só. O DVD pirata custa 2 reais e você assiste quantas vezes quiser. E o DVD original custa em torno de 30/40 reais, e sai mais barato do que ir ao cinema. Eu faço ainda melhor: assim que lança em DVD e Blu-ray já tem na internet em excelente qualidade, eu baixo e assisto de graça, meses ou anos antes de sair na TV paga.

Enfim, o cinema não é isso tudo o que eu esperava. Mas não vou deixar de ir. Sempre que tiver um filme que eu esteja querendo muito assistir e não der para aguentar a ansiedade, vou assistir no cinema. O próximo filme que eu vou é Jurassic World, que estreia no dia 11 de junho. Esse eu vou assistir em 3D (eu queria mesmo em IMAX 3D, mas não tenho grana).

Primeira vez no cinema

50 FATOS SOBRE MIM

Os vlogueiros estão com uma moda de fazerem vídeos com o título “50 FATOS SOBRE MIM” (assim mesmo, com todas as letras maiúsculas), e eu achei interessante, porque é uma forma das pessoas lhe conhecerem melhor e de você se lembrar de algumas características suas que muitas vezes nem você mesmo se lembra.

Eu não sou vlogueiro, e sim blogueiro, mas mesmo assim vou participar disso. Então confira abaixo 50 fatos sobre mim:

1 – Eu sou evangélico. Nasci na Assembleia de Deus e ainda continuo lá. Por ser
evangélico eu sempre tive pensamentos e comportamentos conservadores.

2 – No Ensino Fundamental 1 eu era considerado nerd, principalmente na 5ª e 6ª série (que hoje são chamados de 6º e 7º ano). Mas na verdade eu nunca fui nerd, só era esforçado para tirar nota boa.

3 – Outra prova de que eu não sou nerd, é que no Ensino Médio eu não ficava triste quando tirava 7 ou uma nota vermelha numa matéria que tinha dificuldade.

4 – Eu não gostava de Educação Física porque não sabia jogar nenhum jogo. Nunca soube jogar nada porque sempre fui muito caseiro.

5 – Também não gosto de assistir nenhum esporte. Nenhum. Por isso não torço por nenhum time. Apesar disso, eu gosto de assistir as Olimpíadas, mas não fico horas assistindo. Só algumas partes.

6 – Na adolescência (não faz muito tempo porque eu tenho 19 anos) eu tinha vários sonhos, uns bem altos, como querer trabalhar na Google (quem nunca?), e outros mais próximos da realidade, que eram os que eu seguiria na vida real.

7 – Hoje não tenho sonhos tão altos assim, e todos eles são mais perto da realidade.

8 – Um dos meus sonhos é falar inglês fluentemente e fazer um intercâmbio, nem que seja de um mês (claro que para esse intercâmbio de 1 mês eu já vou ter que ir para lá sabendo falar né?).

9 – Um dia eu quero ter um negócio próprio (uma empresa). Não sei se um dia eu vou desistir dessa ideia, já que agora estou mais focado em concurso público.

10 – Quero viajar pelo mundo.

11 – Eu nunca namorei, nem fiquei. Então também nunca beijei.

12 – Nunca namorei por falta de coragem. Eu sou muito tímido e nunca conseguia falar (e em alguns casos nem olhar na cara) com a pessoa que eu gosto. Espero que na vez que tiver que acontecer eu não tenha que tomar nenhuma atitude (porque é muito difícil), mas que aconteça mais naturalmente.

Atualização 02/04/2016: penso que hoje eu teria mais coragem do que há anos atrás.

13 – Até uma parte do ano passado eu pensava e dizia que não queria casar. Queria ficar solteiro para sempre para ter liberdade de sair e chegar a hora que quiser sem ter que dar satisfações, e para não ter mais uma preocupação e estresse na vida. Hoje estou com um pensamento diferente, e estou sim aceitando a possibilidade de um namoro e de um casamento.

14 – Semana passada estava nos TT’s do Twitter a tag
#PraNamorarComigoPrecisa. Eu participei colocando as minhas “exigências”:

Sou exigente? rs

15 – Eu me irrito facilmente, mas já fui pior um dia. Agora eu tento me acalmar mais.

Atualização 02/04/2016: a cada ano que se passa venho sentido um melhoramento quanto a isso. Deve ser a idade.

16 – Eu usei um colete para coluna durante um ano. Ele não adiantou de nada e até hoje a minha coluna é torta. Para deixar ela reta só com cirurgia.

17 – Eu tenho medo de agulha, por isso não gosto de tomar injeção e nem tirar sangue.

18 – Se eu tenho medo de agulha também tenho medo de fazer cirurgias, por isso não faço o de coluna. Prefiro ficar com ela do jeito que está.

19 – Sou muito sério. Acho que isso afasta as pessoas que não me conhecem.

20 – Depois que a pessoa me conhece a um tempo (mais de um ano) ela costuma dizer: “olha tu tá se soltando” ou “tu tá melhorando, tu era muito tímido”, mas na verdade não é que eu melhorei, e sim que eu vou me mostrando mais e as pessoas vão me conhecendo melhor no decorrer do tempo. No Ensino Médio teve gente que dizia que achava que eu era de um jeito, mas depois que me conheceu viu que eu era de outro. Por causa da minha seriedade as pessoas costumam fazer pré-julgamentos se baseando apenas na minha aparência.

21 – Sou muito magro (e estou abaixo do peso) porque não consigo comer muito. Quando como mais do que aguento me sinto mal e com vontade de vomitar (e isso não é anorexia e nem bulimia).

22 – Por isso eu como sempre nos horários certos. Se eu comer algo de 10 da manhã, não sinto fome para almoçar. Isso acontece em qualquer horário.

23 – Sou muito caseiro. Não gosto de sair muito, a não ser quando tenho que resolver alguma coisa ou quando já faz tempo que não saio.

24 – Eu, diferente da minha mãe, quando vou fazer alguma coisa em Recife ou no Shopping vou só para aquilo e pronto. Não paro para ficar olhando as lojas e as vitrines.

25 – Só gosto de olhar lojas e vitrines se tiver dinheiro para comprar, senão, eu não olho. Não adianta ficar olhando, gostar da coisa, ficar querendo e não poder comprar.

Atualização 02/04/2016: hoje eu paro para ver livros, revistas e camisas de super-heróis.

26 – Sou muito organizado, e não gosto de desorganização. Não sou perfeccionista.

27 – Na internet (atualmente) eu gosto de ler sobre cinema, séries, televisão e curiosidades. Também dou uma lida rápida em notícias de quadrinhos. De vez em quando leio sobre tecnologia, mas não tenho mais o mesmo interesse que tinha antes.

28 – Quando eu estava no Ensino Médio via várias pessoas lendo livros e eu pensava que elas estavam perdendo tempo por lerem livros tão grossos que não acrescentaria conhecimento nenhum. No 3º ano eu comecei a ler a coleção Diário de um Banana, que tinha na biblioteca. Eu lia quando o professor já tinha dado a aula e deixava a turma sem fazer nada. Gostei tanto desse tipo de entretenimento que depois ficou um vazio nesse tempo que eu lia. Então comecei a ler o livro São Bernardo, de Graciliano Ramos, que é ótimo. Infelizmente não deu tempo de concluir. Ainda tenho que terminá-lo.

29 – No ano seguinte eu entrei na faculdade e me esqueci dos livros durante um tempo. Só no meio do ano foi que comecei a ler outro livro, A Menina que Roubava Livros, que eu ouvia falar muito bem e ia lançar o filme em janeiro de 2014. Então me apaixonei de vez pela categoria e hoje eu sempre leio um livro para escrever a resenha no Mundo Geek. É muito bom porque você se entrete, se envolve com os personagens, ri e se emociona, e o tempo passa rápido, ótimo quando você não está com nada para fazer. É como assistir um filme ou uma novela. Também dá para aprender palavras novas, dependendo do livro.

30 – Adoro filmes de super-heróis. Estou me envolvendo muito com eles, pesquisando, me informando sobre eles, e até lendo quadrinhos de vez em quando, para conhecer melhor o personagem e entender o filme (que às vezes tem coisas que só quem entende é quem lê os quadrinhos ou está bem informado). Gosto tanto que quero ter as camisas de super-heróis (que estão na moda) e alguns acessórios personalizados que eu vejo na internet.

31 – Apesar disso, demorei para descobrir o Universo Cinematográfico da Marvel, porque eu não era muito ligado nisso. Quando assisti Os Vingadores pela primeira vez achei legal, mas não dei muita importância porque não tinha entendido os diálogos muito bem. Só depois, quando assisti Capitão América: O Primeiro Vingador, e depois assisti novamente Os Vingadores é que eu entendi a proposta da Marvel e passei a me interessar mais pelos seus filmes e pelos seu universo.

32 – Depois desse interesse por filmes de super-heróis comecei a me interessar também por filmes de modo geral. Eu ainda estava lendo A Menina Que Roubava Livros (que demorei meses para ler porque não tinha tempo), e então resolvi começar a publicar as minhas resenhas. E foi aí que eu comecei a ser geek (apesar de eu ter descoberto ser um geek só 1 ano depois).

33 – Eu nunca fui ao cinema. A primeira vez vai ser no dia 25 de abril, para assistir Vingadores: Era de Ultron. Estou muito ansioso pelo filme e pela experiência. Mas essa não será a primeira e única que vez que eu vou. Já fiz uma lista de filmes que eu vou ver no cinema esse ano. Faço questão disso porque são filmes que estou interessado em ver e agora eu estou mais envolvido com filmes por causa do Mundo Geek. Abaixo está a lista:

image

Tem gente que vai todo mês ou toda semana, mas eu acho um exagero. Não dá para ficar gastando dinheiro à toa com qualquer filme que está em cartaz. Eu só vou para os que eu quero mesmo assistir.

34 – Não sei andar de bicicleta.

35 – A primeira vez que fui para um parque de diversões tinha 16 anos. Minha mãe tinha 36, minha irmã 11 e meu pai 45. Foi a primeira vez de todos.

36 – Me expresso melhor escrevendo do que falando. Por isso que eu gosto de ser blogueiro.

37 – Às vezes quando falo me atrapalho um pouco na pronúncia (geralmente isso acontece com as pessoas que não tenho intimidade, porque fico um pouco nervoso, graças a minha timidez).

38 – Sou chato. Quando não gosto de alguma coisa fico reclamando.

39 – Não gosto de gracinhas. Geralmente quando alguém faz isso comigo eu procuro não ter amizade com ela, mas a trato educadamente. Fico calado, parado e se possível isolado. Não que eu quero que isso aconteça, mas acontece. É como se fosse um sistema automático de defesa do meu corpo e da minha mente.

40 – Não sou criativo. Não gosto de fazer trabalhos em que tenho que criar algo, porque não sai nada da minha cabeça.

41 – Não sou bom em Exatas.

42 – Depois da escola achei que nunca mais precisaria estudar aquelas matérias de novo, mas estou estudando elas para concurso, e não tô gostando muito. Até de português não estou gostando, que era uma matéria que eu me dava bem na escola.

43 – Eu gostaria de escrever um livro narrativo, e até tenho umas ideias que surgem de repente na minha cabeça, mas quando eu escrevo a ideia, não consigo desenvolvê-la. E depois que a ideia acaba, pronto, já não sei mais o que escrever. Talvez isso aconteça porque escrever narrações é algo que também exige criatividade. Essa é a escrita criativa.

44 – Os países que eu mais tenho vontade de conhecer são (nessa mesma ordem): Estados Unidos, China, França, Austrália, Nova Zelândia, Inglaterra, Canadá, Israel e Egito.

45 – Tenho vontade de adotar uma criança um dia.

46 – Pego gripe e resfriado facilmente. Não sei o porque disso. Não é falta de vitamina C porque teve uma época que eu estava tomando todos os dias e mesmo assim fiquei resfriado. A situação é tão séria, que nesse ano de 2015 eu resolvi fazer uma planilha para anotar sempre que eu ficar doente. Nela eu digo a doença que eu tive, quantos dias fiquei doente, e as datas que isso aconteceu.

47 – Não gosto do Facebook porque acho que as pessoas só postam besteiras lá. Tem muita coisa engraçada, mas não tenho tempo para ficar horas vendo apenas esse tipo de conteúdo. Eu entro lá de vez em quando, quando tenho alguma coisa para fazer, mas não atualizo o perfil com frequência. Demoro meses, e ele fica lá cheio de moscas e teia de aranha. Quando publico alguma coisa é um link, que as pessoas não costumam compartilhar no Facebook.

48 – As redes sociais que mais uso e gosto são o Google+ e Twitter. O legal do Google+ é que você só segue quem quiser e por isso pode escolher o conteúdo que vai ver. Lá eu só vejo coisas que eu gosto. Geralmente compartilho coisas de tecnologia, notícias, curiosidades, e participo de algumas comunidades de cinema e séries para compartilhar sobre esses temas com um público específico. No Twitter eu falo sobre televisão. Não tem ninguém que fale sobre isso no Google+, e no Facebook são poucas pessoas. O Twitter é o local apropriado para isso porque você pode comentar facilmente o que está assistindo na televisão. E por isso você pode seguir pessoas com gostos parecidos e conversar com elas sobre esses assuntos.

Atualização 02/04/2016: hoje eu uso mais o Twitter, e uso bem menos o Google+. Lá no Twitter eu não falo mais só sobre televisão, mas de outras besteiras também (coisas do dia a dia, filmes, etc.).

49 – Eu já pensei em fazer Psicologia um dia. Felizmente eu me decidi por Administração. Recentemente dei uma olhada na grade de Psicologia e vi que talvez eu não me desse bem. O que eu quero mesmo estudar é Inglês, e em médio prazo fazer Teologia. Pode ser que num futuro distante eu faça História (que eu gostava de estudar na escola) e me arrisque em Psicologia. Eu falo mais sobre isso aqui.

50 – Não gosto de fazer apresentações de trabalhos. Apesar de eu fazer isso desde o 1º ano do Ensino Médio, sempre fico nervoso.

BÔNUS (teve uma hora que eu tava sem ideia do que escrever, mas depois me apareceu mais que 50 fatos):

51 – Sou tímido (como já deu para perceber lendo essa postagem).

52 – Não sou romântico.

53 –

50 FATOS SOBRE MIM

O preconceito com Michael B. Jordan

image

Michael B. Jordan fará o Tocha Humana no novo filme do Quarteto Fantástico, que estreia em agosto desse ano

Depois que o trailer de Quarteto Fantástico foi lançado, vi muita gente criticando o filme, dizendo que ele vai ficar uma merda, que o trailer foi horrível, etc. Mas o que mais me chamou atenção é que a maioria desses comentários se referia a Michael B. Jordan, que fará o Tocha Humana. Muita gente dizendo que não tem nada a ver ele ser negro, que o filme ia ficar ruim por causa disso, que ele é negro porque depois de pegar fogo iria ficar queimado… (olha que maldade!)

E essas pessoas ainda diziam em seus comentários “não que eu seja preconceituoso” ou “sem preconceito”, mas na verdade todos esses comentários são preconceituosos. Por que o Tocha Humana não pode ser negro? Qual é o problema disso? Nos quadrinhos ele é loiro, mas não tem problema nenhum ele ser negro. Isso não vai diminuir os seus poderes, nem aumentar os seus defeitos.

Vi outro comentário de um crítico de cinema conhecido dizendo que isso é polêmico porque os Estados Unidos tem uma história recente de preconceito com os negros, e não fica legal colocar um negro para pegar fogo. Discordo totalmente. Se a Fox está fazendo isso é porque eles entendem que tudo o que passou, por pior que foi, ficou no passado, e não devemos mais levar em consideração tudo o que aconteceu no passado para tomarmos decisões no presente.

O objetivo da Fox e de Josh Trank, o diretor do filme, não é fazer polêmica, e sim dizer “por que não um negro fazendo um papel de um herói originalmente loiro?”. Não tem problema nenhum com isso. Eu até acho que a Sony (ou quem sabe a Marvel, numa negociação com a Sony) deveria fazer o Ultimate Homem-Aranha, aquele em que o personagem é Miles Morales, e não Peter Parker.

A Marvel está fazendo a maior inclusão possível em seus quadrinhos porque percebeu que o mundo não é feito apenas de homens brancos, mas também de negros e mulheres. É por isso que vimos Sam Wilson ficando no lugar do Capitão América, Thor sendo uma mulher, e um Homem-Aranha negro. Tudo isso mostra que estamos num momento em que não deve mais existir preconceitos.

É um absurdo esses preconceitos existirem ainda hoje, onde as pessoas são tão modernas e têm uma forma tão atual de pensar. Será que o preconceito não está fora de moda? Por que essas pessoas que seguem a moda das roupas, tecnologias, lugares badalados também não seguem modas mais simples e que fariam a vida melhor, como a moda de viver sem preconceitos, a moda de não jogar lixo na rua e nem nas praias, a moda de não ser vândalo, e de não usar drogas?

Enquanto isso essas pessoas perdem tempo fazendo essas comparações e críticas sem valor que só lhes deixarão mais ignorantes e menos inteligentes. Que lhes deixarão com mais mente vazia e menos mente aberta para novas informações e aprendizados úteis.

Não sei como está sendo a reação nos Estados Unidos, mas aqui no Brasil isso é decepcionante e vergonhoso, quando sabemos que TODOS NÓS somos miscigenados. Todos temos sangue de branco, índio, negro e oriental.

Está na hora de mudarmos a nossa forma de ver o mundo e a nossa forma de pensar. Temos que evoluir as nossas mentes e pensamentos. Claro que essas mudanças não devem ser para coisas ruins e que não prestam, ou que afligem a ética, a moral e as leis, mas sim para coisas boas e que deixarão o mundo melhor.

O preconceito com Michael B. Jordan

Impressões do trailer do novo filme do Quarteto Fantástico

Saiu o trailer do novo Quarteto Fantástico. Eu gostei do que vi. Ele se mostra totalmente diferente dos dois filmes anteriores, com mais realismo, seriedade e ficção científica. Enquanto os outros dois filmes tiveram apenas 1h30min de duração, pouca ação e mais leveza, esse reboot vem com um objetivo diferente.

Quando assisti o trailer gostei de cara. Ele mostra equipamentos de alta tecnologia, mostra seriedade em tudo. Ou seja, veremos um filme em que a ficção científica estará bem presente. É mostrado uma cena que parece ser o surgimento do Coisa, em que ele sai das pedras, literalmente. A sua aparência é bem realista e ele realmente parece de pedra, e não de plástico ou isopor, como parecia ser nos filmes anteriores. Sobre o Tocha Humana, provavelmente ele não descobrirá os seus poderes enquanto estiver brincando na neve e depois ficará fazendo estralados no dedo para ver um pouco de fogo sair deles.

Só espero que o Sr. Fantástico não fique com aquela aparência de desenho animado quando se esticar. Quero ver como eles irão fazer isso com o mesmo tom realista do Coisa e do Tocha Humana que foi mostrado no trailer. E claro, espero que tenha ação também, porque mesmo que ele fique com muita ficção científica, ainda é um filme de super-herói.

Também gostei porque o filme vai mostrar as origens dos personagens ainda jovens. No trailer apareceu rapidamente Reed Richards trabalhando numa garagem, no início da sua carreira de cientista.

Esse será um filme mais grandioso, mais sério, mais real. E mesmo que ele fique ruim, com certeza ficará melhor do que os antigos filmes do grupo.

Impressões do trailer do novo filme do Quarteto Fantástico