Sobre a entrevista de Joesley Batista à Época

E basicamente é isso o que eu acho sobre a entrevista de Joesley à Época. Ele falou tanto em Temer, Cunha e sua turma, a ponto de chamar Temer de chefe da maior quadrilha (e Lula, onde fica nessa história?), que desconfio que esse foco dele em Temer & Cia deve ter sido motivado por algo pessoal que lhe atingiu, e então ele resolveu se vingar dessa forma.

O cara era propina pra lá, propina pra cá, e agora vem dizer que é porque “aquela gente é perigosa” e ele não podia ficar distante, mas também não tão próximo. Vê se isso tem cabimento? Dando uma desculpa esfarrapada para justificar as propinas. E ele, rico do jeito que é e cheio de interesse em coisas do governo que lhe beneficiasse, vai dizer que só negociou a vida toda com Temer e o pessoal do PMDB? Duvido. Ele deve ter negociado com Dilma também, e até Lula. Ele sabe muito mais que isso que disse na entrevista, mas resolveu revelar só o que lhe era conveniente.

O que esse corrupto merecia era estar preso. Não entendi esse acordo que ele fez com a justiça que lhe permitiu ficar solto e ainda ir para outro país. Foi praticamente o mesmo que buscar asilo político em outro país.

Só deixando claro que não estou defendendo Temer. Como disse no tweet, não duvido de que o que Joesley disse seja verdade. Só acho estranho esse foco todo em Temer e na sua turma do PMDB. Esse Joesley não é nenhum satinho para sair falando de todo mundo e tentando se livrar da culpa, enquanto está aí solto e em outro país.

Anúncios
Sobre a entrevista de Joesley Batista à Época

Comentários sobre a pesquisa da Datafolha para as eleições de 2018

Hoje foi divulgado pela Datafolha uma pesquisa sobre as Eleições 2018 com os possíveis candidatos a presidente. O resultado, que foi manchete de todos os sites de notícia, não me surpreendeu: Marina Silva liderou nas intenções de voto no 2º turno. Marina liderar não é nenhuma novidade, porque isso aconteceu nas eleições passadas, mas depois ela começou a cair. Eu gosto de Marina porque ela tem boas ideias, mas ela não se mostra segura para defendê-las. Você percebe isso nos debates. Sempre que confrontada ela responde com outra coisa que não tem nada a ver, o que termina dando a impressão de candidata fraca e insegura. Sem contar os programas políticos dos outros candidatos, que inventam muitas coisas e ela não sabe reagir.

Agora ela pode estar ganhando, porque é sempre assim, Marina é o nome alternativo que as pessoas mais se lembram na pior hora, mas na hora de votar, voltam a serem enganados pelos programas políticos do PT e PSDB. E o seu desempenho nos debates também não ajuda, como disse acima.

Outra coisa que a pesquisa diz é que 62% dos entrevistados dizem querer novas eleições para escolher um novo presidente. Mas aí eu pergunto: para quê? Para serem enganados de novo e votarem nos mesmos candidatos? Tanto é que, apesar de Marina ganhar nas intenções do 2º turno, Lula ganha em todas no 1º turno. Apesar de tanta roubalheira, de tanto escândalo, e dele já ser réu em algumas investigações, ainda tem gente que votaria nele. É para isso que o povo quer que Temer renuncie (ah, sonhem!)? É para isso que o povo prefere que sejam convocadas novas eleições gerais?

É por causa disso, que às vezes penso que se Temer cair por qualquer motivo que seja, que o próximo presidente seja escolhido numa eleição indireta, porque se depender do povo, a gente não sai da mesmice e do erro. Poderá vir Lula, que querendo ou não foi um bom presidente na sua época, e até melhorar alguma coisa agora (para dizer: “olhem, fui eu que melhorei!”), mas depois que passar o seu governo poderão vir novos escândalos de corrupção. Se ele já fez uma vez, o que garante que ele não fará novamente? E se não for Lula, poderá ser Aécio, que também tem boas ideias, mas que já foi citado várias vezes por delatores da Lava-Jato.

Se é para vir alguém corrupto (todos os políticos são, não tem para onde correr), que pelo menos venha alguém diferente. Pelo menos o Congresso poderá votar com mais consciência e usar mais a cabeça na hora de eleger alguém, diferente do povo, que quer eleger um novo presidente, esperando que milagrosamente tudo mude da noite para o dia, e ainda por cima, votando nas mesmas pessoas de sempre.

Comentários sobre a pesquisa da Datafolha para as eleições de 2018

O impeachment é a solução para os nossos problemas?

Sinceramente, não tô muito confiante de como o Brasil vai ficar se houver o impeachment definitivamente (porque por enquanto ele foi aprovado apenas da Câmara dos Deputados). Continuo com a opinião de que o impeachment é só um jogo político de interesse e poder, e que ele não vai melhorar em nada a crise política e econômica do Brasil.

Temer, por exemplo, na hora boa estava lá ao lado de Dilma, mas quando a situação ficou ruim, ele já cuidou de se desvincular da imagem de Dilma e do PT. No começo disfarçava, dizia que era contra o impeachment, mas depois que o PMDB rompeu com o governo, decidiu revelar publicamente que está contra Dilma e o PT. Tudo isso porque ele está vendo a possibilidade de Dilma sair da presidência e de ele chegar ao poder. Quanta falsidade! Por isso que Dilma disse em seu discurso do dia 18 que em qualquer outro país democrático do mundo ele não seria respeitado.

Ainda não pesquisei a fundo sobre os crimes de responsabilidade que estão alegando Dilma de ter cometido para ter uma opinião específica sobre isso, mas independente dela ser culpada ou não, tá na cara que o que o PMDB e PSDB querem é que ela saia do poder para eles governarem. No caso do PSDB nem tanto, mas ele daria o apoio ao PMDB, e isso já está em negociação. Tá na cara que o maior motivo da maioria dos políticos quererem a saída da presidente é por seus interesse e de seus partidos.

Correção: Cunha não vira vice, ele apenas pode substituir Temer em caso da ausência dele, como numa viagem, por exemplo.

Teve deputado que votou pela posição do seu partido, mesmo discordando, com o medo de ser expulso dele. Como eu disse, eles votaram pelos seus interesses e de seus partidos, não pelo interesse do bem do nosso país. E 99% deles estavam ali querendo fazer discursos, querendo aparecer na televisão em rede nacional aproveitando para mandar beijos para a família, justificar falta de outros deputados, enganar os otários eleitores para dizer que se importam com eles. Aquela votação foi uma bagunça.

Mesmo se Dilma for culpada, acontecerá um golpe feito por Temer e Cunha, que é um golpe moral. Mesmo se Dilma for culpada, deu para ver claramente na votação que o interesse dos políticos pelo impeachment não era pelo crime de responsabilidade. Eles nem se quer citavam isso nas “justificativas” de seus votos.

Mas o pior de tudo, o pior mesmo, é como a imprensa internacional está enxergando essa situação toda. Basta uma rápida pesquisa para você ver que todos eles veem com maus olhos, mesmo sendo um processo legal e não simplesmente um golpe em que tiraram a presidente do poder à força. Já tem até um comentário que o Brasil pode ser suspenso temporariamente do Mercosul se o impeachment se concretizar. O que tudo isso quer dizer, é que se Temer assumir o poder, a imagem do Brasil lá fora poderá ser ainda mais prejudicada (porque prejudicada agora já está), fechar as portas para nós e deixar a crise ainda pior. Mesmo que Temer esteja preparando estratégias para isso, ninguém sabe se dará certo.

E por fim, acho que com Temer nada iria mudar. Continuaríamos na mesma situação política e econômica, e só teríamos passado por esse vexame todo nacional e internacionalmente. Poderíamos até mesmo ser prejudicados por isso, mesmo que à curto prazo. Quero ter esperanças de que um possível governo de Temer seja bom, de que ele mude as coisas e elas voltem a andar, mas fazer isso não é tão simples quanto falar.

O impeachment é a solução para os nossos problemas?